CATEGORIA: Notícia

De acordo com dados do Painel Covid-19, divulgados pela Secretaria de Estado e Saúde de Goiás (SES-GO), na tarde desta quarta-feira (14/4), Goiás registrou 3.196 novos casos e 145 novos óbitos por Covid-19 nas últimas 24 horas.

Segundo a pasta, o Estado possui 516.692 casos confirmados da doença. Destes, há registro de 491.660 pessoas recuperadas. A secretaria ainda investiga 427.252 casos suspeitos e 255.504 foram descartados.

O número de óbitos confirmados é de 13.208. Ainda são investigados 329 óbitos suspeitos e 68 já foram descartados. A taxa de letalidade da doença no Estado é de 2,56%.

Leitos

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), destinadas ao tratamento do novo coronavírus em Goiás é de 84,94%. São, ao todo, 1.481 leitos do tipo reservados a pacientes com suspeita ou confirmação de infecção, 1.258 estão ocupados.

Já em relação a leitos de enfermaria, 53,93% estão ocupados. São, no total, 2.581 leitos exclusivos, 1.392 estão ocupados.

Vacinação

O levantamento realizado pela SES-GO aponta que, referente à primeira dose, foram aplicadas 668.544 doses das vacinas contra a Covid-19 em todo o Estado. Em relação à segunda dose, foram vacinadas 197.157 pessoas. 

Em relação às vacinas, Goiás já recebeu 1.370.130 doses de imunizantes, sendo 1.110.680 da CoronaVac e 259.450 da AstraZeneca.

*Com informações Jornal o Hoje 

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia

O Estado de Goiás receberá, nesta quinta-feira (15/4), mais 187.750 doses de vacinas, sendo 114.955 (primeira dose) e 72.795 (segunda dose). “Vamos em breve terminar de vacinas os idosos para imunizarmos outras faixas etárias contra o Coronavírus”, escreveu o governador Ronaldo Caiado (DEM).

O Instituto Butantan, fabricante da vacina CoronaVac, liberou 1 milhão de doses dos imunizantes para o Ministério da Saúde, na manhã desta quarta-feira (14/4). A nova carga foi anunciado após atrasos na fabricação, devido à falta de insumos.

Alguns estados e municípios já estavam sofrendo com atrasos no calendário da vacinação, o que já vinha comprometendo a imunização dos grupos prioritários nesta primeira aplicação das doses, e também da aplicação da segunda dose.

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia

A Caixa Econômica Federal (CEF) realiza nesta quarta-feira (14/4) o sorteio da Mega-Sena, que está com prêmio acumulado em R$ 33 milhões.

As seis dezenas do concurso 2.362 serão sorteadas, a partir das 20 horas (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

Já as apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet. A aposta mínima, com seis números, custa R$ 4,50.

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia

Quatro homens foram mortos pela polícia em um confronto na noite desta terça-feira(13),em Caldas Novas, segundo a Polícia Militar (PM).

A polícia informou que os homens estavam em um carro FIAT UNO, e reagiram com tiros contra a equipe policial quando foram abordados.

O Serviço Móvel de Urgência (SAMU) foi chamado e os criminosos socorridos, mas os homens morreram ao dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Nenhum policial ficou ferido, segundo a PM.

Confronto

A PM informou que o veículo FIAT UNO estava em atitude suspeita quando os militares tentaram a abordagem, mas os criminosos deram fuga e atiraram contra os militares que revidaram. No confronto os quatro ocupantes do carro foram baleados.

Durante as buscas, as equipes da policial encontraram dentro do veículo com os marginais cinco armas de fogo.De acordo com a PM, o tiroteio aconteceu na Rua 06, no Setor Jardim Jussara, por volta das 21h.

Os homens mortos tinham entre 18, e 28 anos, e um deles ostentava uma longa ficha criminal com vários homicídio, sendo que um dos crimes foi o duplo homicídio registrados em Caldas Novos na virada do ano de 2019 para 2020.

A Polícia Científica foi até o local do confronto para realizar uma perícia. Segundo a PM, cinco armas foram apreendidas no local, sendo quatro revólveres e uma escopeta calibre 12.

A polícia informou ainda que os criminosos mortos no confrontos ostentavam armas em vídeos e estavam planejando um roubo a residência no município.

Com informações Alan Cássio

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia

Levantamento feito pela Secretaria de Educação de Goiás (Seduc) e divulgado nesta terça-feira (13) registrou queda de 47,5%  no índice de evasão escolar da rede estadual de ensino. Enquanto mais de 68 mil alunos deixaram de renovar sua matrícula na escola entre os anos de 2019 e 2020, entre 2020 e 2021 esse número caiu para menos de 36 mil.

O levantamento foi realizado com base no número de matrículas e, segundo a Seduc, indica a quantidade de alunos da rede de ensino de Goiás que não solicitaram a transferência nem renovaram a matrícula nas escolas da rede estadual. A secretaria verificou que, entre os anos de 2019 a 2020, 68.063 estudantes evadiram da escola. Entre 2019 e 2020, esse número caiu para 35.696 – uma redução de 47,5%.

A Seduc explicou que, para fazer o levantamento, comparou o número absoluto de matrículas de 2019 e 2020 ao período de março de 2021, que, conforme a pasta, é o mês em que o número de matrículas fica estável na rede estadual.

A gerente de Avaliação da Rede Estadual e Estatísticas Educacionais da Seduc, Márcia Carvalho, ressalta que há distinção entre evasão e abandono escolar. “Abandono escolar, que é avaliado pelo Censo Escolar, ocorre quando o aluno deixa de frequentar as aulas durante o ano letivo e retorna no ano seguinte”. Já a evasão escolar acontece “quando o aluno que estava na rede o ano passado não fez matrícula para o atual, e nem solicitou a transferência para uma outra escola”.

Monitoramento

Em março do ano passado, a Seduc lançou o Painel de Monitoramento. A iniciativa, explica a pasta, “consiste em um levantamento periódico da frequência dos estudantes e do acesso deles às aulas não presenciais”.

Com base nos dados verificados, as equipes escolares são, então, orientadas a entrar em contato com os alunos ausentes há mais de 14 dias para conscientizá-los sobre a importância de continuar realizando as atividades escolares.

*Com informações Mais Goiás

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia

Governador Ronaldo Caiado anuncia normas de restrição para combate à pandemia de Covid-19 após diálogo com prefeitos, instituições públicas e setor produtivo. “Contamos com a conscientização de todos para que também assumam a responsabilidade, porque não podemos voltar a ter uma outra curva que não seja de declínio”, alerta. Setores não essenciais continuam em funcionamento pelos próximos 14 dias, mas com horário reduzido de atendimento. Bares, restaurantes e shoppings não poderão abrir nos finais de semana.

Após discussões e diálogo com prefeitos, setor produtivo e presidentes de instituições, o governador Ronaldo Caiado anunciou, na noite desta terça-feira (13/04), por videoconferência, as novas regras de restrição em Goiás para o combate à pandemia de Covid-19. Com o decreto nº 9.848, publicado em edição suplementar do Diário Oficial do Estado (DOE), as atividades não essenciais vão continuar em funcionamento pelos próximos 14 dias, mas com horário reduzido de atendimento, de acordo com cada setor. Bares, restaurantes e shoppings, por exemplo, não poderão abrir nos finais de semana.

Durante o encontro, o governador destacou que a decisão foi tomada em virtude da redução da transmissibilidade da Covid-19 em Goiás. “É uma queda sustentada, mostrando que este resultado foi o que colhemos nos dias em que fechamos 100% o comércio”, afirmou. “Esperamos e confiamos que mesmo com essa restrição em menor intensidade, ainda manteremos a queda. Caso contrário, a decisão terá que ser revista”, alertou Caiado.

Para que o comércio continue funcionando, é fundamental que a população se conscientize e continue a colaborar com as autoridades para a redução da velocidade de contágio, destaca o governador.

“Contamos com a conscientização de todos os segmentos para que também assumam a responsabilidade, porque não podemos voltar a ter uma outra curva que não seja de declínio”, reiterou.

Secretário de Estado de Saúde, Ismael Alexandrino disse que as decisões são tomadas com critérios técnicos e responsáveis. “A vacinação, juntamente com aquele período de 14 dias de fechamento, de isolamento, foram fundamentais para que tivéssemos entrado no mês de abril com estabilização e alguns critérios com tendência de queda”, pontuou. Apesar de não existir conforto em meio à pandemia, foi possível conciliar a economia e as medidas sanitárias. “Não há nenhuma atitude irresponsável, mas uma análise global, contextualizando aspectos sanitários, sociais e econômicos”, avaliou. “Não flexibilizem mais do que está no decreto. Não podemos facilitar”, recomendou.

A superintendente de Vigilância em Saúde (Suvisa), Flúvia Amorim, acrescentou que a fiscalização deve continuar para prevenir situações de não cumprimento das medidas sanitárias e de distanciamento social. “Mais que nunca, coloco a importância da fiscalização e do comportamento da população”.

Segundo ela, no caso de atitudes inadequadas e que coloquem em risco a vida das pessoas, “a gente pode ter uma alteração nesse padrão, voltarmos com o aumento de números de casos e termos que tomar medidas mais restritivas ainda”.

O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, destacou o trabalho conjunto com o governo do Estado, “de mãos dadas, cumprindo o objetivo de cuidar de vidas”. Disse que o decreto foi construído com base em decisões completamente técnicas e acrescentou que, mesmo com a redução de internações de contaminados com a Covid-19, ainda não há motivo para abrir todas as atividades não essenciais. “Isso não nos dá razão e segurança para liberarmos as pessoas a saírem de casa”, ponderou.

Decreto

Até esta terça-feira estava em vigor o decreto 9.653, que instituiu o revezamento das atividades econômicas, que iniciou com 14 dias de suspensão, seguidos por 14 dias de funcionamento.

Agora, de acordo com o novo decreto nº 9.848, que revoga os documentos nº 9.653 e nº 9.778, as atividades comerciais funcionarão em turnos diários de até seis horas. Os horários de funcionamento, observados os turnos previstos pela regra, obedecerão às normas municipais.

A publicação estabelece que as atividades econômicas, exceto as consideradas essenciais, não funcionarão aos finais de semana. O decreto lista entre as atividades consideradas essenciais: farmácias, clínicas de vacinação, laboratórios de análises clínicas e estabelecimentos de saúde; cemitérios e serviços funerários; distribuidores e revendedores de gás e postos de combustíveis; supermercados e congêneres, sem a inclusão das lojas.

Para todas as atividades em funcionamento o decreto determina a adoção dos protocolos específicos de biossegurança e traz ainda algumas especificações por segmento.

Os bares e os restaurantes deverão observar a lotação máxima de 50% de sua capacidade. No caso de eventos esportivos, eles poderão ser realizados no Estado desde que os portões estejam fechados para o acesso do público, com especial observância aos protocolos específicos para a atividade. Hotéis e correlatos devem funcionar com o limite máximo de 65% da capacidade de acomodação.

Nos supermercados, nas feiras livres, nas lojas de conveniência e congêneres fica vedado o consumo de gêneros alimentícios e bebidas no local, bem como o acesso simultâneo de mais de uma pessoa da mesma família, exceto nos casos em que se faça necessário o acompanhamento especial.

Entre outras especificações por segmento contidas no decreto estão as voltadas para o funcionamento das academias de musculação, quadras poliesportivas, escolas de esporte e similares, que poderão funcionar com até 30% de sua capacidade total de alunos, com agendamento de horário.

O mesmo percentual de ocupação deve ser considerado por salões de beleza, barbearias, centros de estética, shoppings, galerias, centros comerciais, camelódromos e congêneres.

Quanto às aulas presenciais em instituições de ensino público e privadas observarão os atos normativos editados pela Secretaria de Estado da Saúde, que serão fundamentados nas discussões do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública de Goiás para Enfrentamento ao Coronavírus (COE).

O transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia vai continuar com a restrição de horário. Das 6h às 7h30 o embarque só é permitido para quem trabalha em atividades essenciais. O mesmo ocorre entre às 16h45 e 18h15.

O decreto estabelece ainda que as empresas de transporte de passageiros, pública ou privada, urbana e rural, não devem exceder a capacidade de 50%. E na modalidade intermunicipal todos os viajantes devem estar sentados.

Já nos templos religiosos, o funcionamento será permitido com a limitação de 30% de ocupação.

Restrições

No artigo 3º do decreto estão as informações de atividades que permanecem suspensas em Goiás. São elas: eventos públicos e privados presenciais de quaisquer natureza, inclusive reuniões; espaços comuns de condomínios verticais e horizontais destinados exclusivamente ao lazer, como churrasqueiras, piscinas e salões de jogos; visitas a presídios e centros de detenção para menores; visitas a pacientes internados com diagnóstico de Covid-19, a não ser que o paciente necessite de acompanhamento ou seja criança; clubes recreativos e parques aquáticos; cinemas, teatros, casas de espetáculo e boates.

Conforme o documento, cada município poderá impor regras adicionais ou flexibilizar atividades econômicas e sociais desde que sejam observados os fundamentos da nota técnica nº 4/2021 e os riscos epidemiológicos. No entanto, caso seja registrado aumento dos casos de Covid-19 “em quantidade capaz de colocar em risco a capacidade de atendimento hospitalar da região, o Estado poderá intervir com novas medidas de restrição”, consta no decreto.

Apoio

Entre as diversas autoridades que participaram da videoconferência, o presidente do Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE-GO), conselheiro Edson Ferrari, reforçou a parceria com o Governo de Goiás no combate à pandemia, inclusive com campanha para arrecadação de cestas básicas para doar às famílias em situação de vulnerabilidade social. “O senhor disse que não troca vidas por votos. Uma afirmação coerente e correta. Pode contar com o TCE”, disse.

Da mesma forma, o presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-GO), conselheiro Joaquim de Castro, manifestou apoio. “Aquilo que se constrói junto, a possibilidade e probabilidade de acertar é muito grande. Agora, é claro e evidente, que depende do compromisso e responsabilidade de cada um”, declarou.

Como representante da Defensoria Pública do Estado (DPE-GO), o primeiro subdefensor público-geral Tiago Gregório Fernandes, elogiou as atitudes tomadas pelo governador. “Parabenizo pela condução via mediação, conciliação, sendo essa, evidentemente, uma estratégia mais eficaz para o enfrentamento à Covid-19”.

O novo decreto foi elogiado pela Associação Brasileira Pró-Desenvolvimento Regional Sustentável (Adial Brasil). “Estamos solidários com o bom senso e com todas as atitudes que o governo tem tomado. Vamos marchar para passar essa página da nossa história”, disse o presidente-executivo, Herculano Anghinetti. Já a diretoria da instituição em Goiás ressaltou o fim da intermitência das atividades industriais.

“Agradeço a confiança do governo nas nossas teses de monitoramento do pessoal para que a gente continue produzindo e que a economia volte aos poucos a surtir os efeitos que esperamos”, destacou Edwal Portilho (Chequinho), presidente-executivo da Adial Goiás.

Vacinas

Ronaldo Caiado informou aos participantes da reunião que outro tema era debatido ao mesmo tempo, nesta terça-feira (13/04), um maior percentual de vacinas para o Brasil pelo consórcio da Covax-Facility, com representantes da Organização das Nações Unidas (ONU). “As ações diplomáticas, me parece que já estão surtindo efeito”, comemorou. “Já receberemos, no próximo dia 20, um total de 3 milhões de litros [de insumos para produção de imunizantes], o que daria 10 milhões de vacinas”, a serem produzidas pelo Instituto Butantan.

O governador declarou que a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) também terá condições de fornecer imunizantes à população brasileira e, assim, vacinar prioritariamente os idosos. “Um ponto fundamental é conseguirmos diminuir o fluxo de demanda das pessoas acima de 60 anos, que tem uma maior tendência ao agravamento”, concluiu.

Legenda:

Governador Ronaldo Caiado em videoconferência com representantes de instituições públicas e da iniciativa privada: “Esperamos e confiamos que mesmo com essa restrição em menor intensidade, ainda manteremos a queda. Caso contrário, decisão terá que ser revista”

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia

Segundo dados do Painel Covid-19, divulgado pela Secretaria de Estado e Saúde de Goiás (SES-GO), na tarde desta terça-feira (13/4), Goiás registrou 3.662 novos casos e 132 novos óbitos por covid-19. Com o registro, o Estado ultrapassou 13 mil vítimas da doença desde o início da pandemia, uma semana após registrar 12 mil óbitos confirmados.

De acordo com a pasta, o número de casos confirmados da doença é de 513.496. Destes, há registro de 489.174 pessoas recuperadas. A SES investiga 425.951 casos suspeitos da doença e 254.647 casos suspeitos foram descartados.

O número de óbitos confirmados pela doença é de 13.063. A secretaria investiga 336 óbitos suspeitos e 68 já foram descartados. A taxa de letalidade da doença no Estado é de 2,55%.

Leitos

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), destinadas ao tratamento da covid-19 no Estado é de 87,57%. São, ao todo, 1.255 leitos exclusivos para o tratamento da doença. Destes, 1.099 estão ocupados.

Já em relação a leitos de enfermaria, 53,62% estão ocupados em Goiás. São, no total, 2.350 leitos, 1.260 estão preenchidos por pacientes com diagnósticos suspeitos ou confirmados da doença.

Redução na demanda

De acordo com dados divulgados na última segunda-feira (12/4), o quantitativo de solicitações de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria destinados ao tratamento da Covid-19 em Goiás mostram redução na fila de espera.

Segundo SES, 74 pessoas esperam uma vaga em um leito de UTI Adulto e 3 em UTI Pediátrica. Com relação à enfermaria, 77 pessoas aguardam por uma vaga em Enfermaria Adulto e 3 em Enfermaria Pediátrica.

Apesar de ainda significativos, os números apresentados demonstram uma redução na demanda, quando comparados ao mês anterior.

Para se ter uma ideia, há quase um mês, no dia 18 de Março, o quantitativo de solicitações de leitos demandava 375 pessoas para UTI Adulto. Na Enfermaria Adulto, 270 pessoas aguardavam por uma vaga.

Na Pediátrica, sete esperavam por tratamento. Na última segunda-feira, a taxa de ocupação dos leitos de UTI na rede pública estadual para tratamento da Covid-19 era de 95,18%, o que representa somente 27 leitos disponíveis.

Na enfermaria, a situação é um pouco mais amena com uma taxa de ocupação de 69,6%, o que significa 234 leitos disponíveis para tratamento.

*Com informações Jornal o Hoje

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia

O fato aconteceu na manhã de hoje (13), terça-feira na GO-213. Segundo informações, a vítima foi encontrada caída as margens da GO-213 entre Caldas Novas e Rio Quente, pelo ex-comandante da Polícia Militar de Caldas Novas Coronel Heber, que passava pelo local e ouviu gritos vindos da margem da rodovia.

O ex- Comandante permaneceu com a vítima até a chegada do Corpo de Bombeiros a vítima foi encaminhada para a UPA, Unidade de Pronto Atendimento de Caldas Novas. Porém infelizmente acabou falecendo.

A vítima foi identificada como Alessandra Ramos de 46 anos, no momento do acidente ela praticava o pedal. O condutor do veículo fugiu sem prestar socorro a vítima e até o momento nem ele e nem o veículo foram encontrados.

Não prestar socorro é crime. Qualquer pessoa, mesmo o leigo na área da saúde, tem o dever de ajudar um necessitado ou acidentado ou chamar socorro de autoridade pública. A pena é aumentada de metade se da omissão resultar lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se causar a morte.

Lamentamos o ocorrido, e nos solidarizamos com familiares e amigos.

A Polícia Militar Rodoviária foi acionada para registra a ocorrência.

*Com informações: Valter Fonseca

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail

Na noite desta segunda-feira (12/04), a equipe do GPT do 18ºBPM realizou a prisão de 02 indivíduos em Ouvidor/GO.

Durante abordagem a um veículo suspeito, foram localizadas porções de entorpecentes “cocaína” e “maconha”, além de vários objetos furtados em uma residência no Bairro Estrela, em Catalão.

Os infratores de 22 e 23 anos, que possuem uma vasta ficha de antecedentes criminais, foram conduzidos juntamente com os produtos do ilícito à Central de Flagrantes para os procedimentos legais.

Fonte: Polícia Militar 

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia

Um jovem de 24 anos morreu após se afogar no Rio Araguari, no km 56 da BR-050, próximo a Uberlândia. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima estava nadando com amigos no local, quando submergiu e não conseguiu voltar para a superfície do rio, se afogando.

O corpo do jovem foi encontrado a 15 metros de profundidade. Além dos bombeiros, a funerária esteve no local para fazer a remoção do corpo e a perícia também analisou o caso.

G1 Triângulo Mineiro 

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia

De acordo com o Painel Covid-19, divulgado pela Secretaria de Estado e Saúde de Goiás (SES-GO), na tarde desta segunda-feira (12/4), Goiás registrou 2.206 novos casos e 148 novos óbitos em decorrência do novo coronavírus.

Segundo dados informados pela pasta, o número de casos confirmados da doença no Estado é de 509.834. Destes, há registro de 486.424 pessoas recuperadas da doença. A SES investiga 423.672 casos suspeitos e 253.692.

O número de óbitos confirmados chegou a 12.931. A pasta investiga 333 óbitos suspeitos e 69 já foram descartados. A taxa de letalidade da doença é de 2,54%.

Leitos

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), destinadas ao tratamento do novo coronavírus no Estado é de 72,82%. São 1.289 leitos reservados em hospitais públicos e privados no Estado, 1.016 estão ocupados.

Já em relação a leitos de enfermaria, 58,90% dos leitos exclusivos estão ocupados no momento. São, ao todo, 2.158 leitos, 1.271 estão ocupados.

*Com informações Jornal o Hoje 

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
SUBIR PÁGINA