CATEGORIA: Notícias

Sem trégua, a caçada policial a Lázaro Barbosa, de 32 anos, completa nove dias. As buscas se espalharam pelos municípios de Edilândia, Cocalzinho de Goiás, Girassol e Águas Lindas de Goiás. Por essas localidades, há barreiras e dois helicópteros dando suporte aéreo.

Mais uma invasão a propriedades em Edilândia, na noite dessa quarta-feira (16/06), foi atribuída ao foragido. Policiais militares estiveram no local e há indícios de que ele tenha se alimentado.

Nesse mesmo dia, durante a madrugada, testemunhas disseram que virão Lázaro em uma fazenda a 8 km de Edilândia (GO). Lá ele teria arrombado a porta, preparado refeição e ido embora, deixando uma camisa no local.

Nesse mesmo município, na terça-feira (15/06), segundo a Secretária de Segurança Pública de Goiás (SSPGO), Lázaro entrou em uma chácara e levou uma família refém para uma mata. Uma das vítimas conseguiu ligar para um policial e o criminoso e a família foram encontrados.

Os policiais narraram que ele escondeu os reféns sob folhas e reagiu atirando. Nessa ocasião, um PM foi baleado de raspão. Acuado, Lázaro conseguiu fugir por um rio.

A força tarefa na região é composta pelas polícias Civil e Militar do Distrito Federal, de Goiás e agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

* Com informações Jornal o Hoje

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Pessoas com doenças cardiovasculares, diabetes e outras doenças respiratórias representam 61% das mortes. Confira o boletim diário | Foto: reprodução

A Secretaria de Saúde de Goiás (SES-GO) divulgou, por meio dos indicadores, nesta segunda-feira (14/06), que o Estado alcançou o número de 18.030 mortos por Covid-19 desde o início da pandemia, depois de 57 mortes terem sido notificadas nas últimas 24 horas. Há algumas semanas os casos vem apresentando oscilação positiva, contabilizando milhares de doentes todos os dias.

Dos óbitos, 10.979 (61%) são de pessoas com algum tipo de comorbidade como doença cardiovascular, diabetes ou doença respiratória. 351 continuam sob investigação e a taxa de letalidade no Estado é de 2,82%.

Ainda de acordo com o boletim, são, agora, 640.974 casos da doença já registradas no território goiano durante a pandemia. Destes, há o registro de 2.643 nas últimas 24 horas, 610.645 recuperados

Em relação ao Brasil, Goiás se mantém “estável”, mas com número constante de novos casos, configurando volume significativo, tal qual outros 18 Estados. Segue com ritmo desacelerado de casos os Estados da Amazônas, Acre e Amapá. Já os Estados com crescimento acelerado de casos são Mato Grosso do Sul, Roraima, Pernambuco e Paraíba.

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícia, Notícias

De acordo com dados do Painel Covid-19, divulgados pela Secretaria de Estado e Saúde de Goiás na tarde desta sexta-feira (30/4), Goiás registrou 2.190 novos casos e 96 novos óbitos em decorrência do novo coronavírus nas últimas 24 horas. O total de óbitos pela covid-19 no Estado chegou a 15 mil.

Segundo a pasta, o número de casos confirmados da doença desde o início da pandemia no Estado é de 551.919. Destes, há registro de 525.167 pessoas recuperadas. A secretaria investiga a 435.130 casos suspeitos da doença e 267.049 já foram descartados.

Já em relação a óbitos, Goiás possui, ao todo, 15 mil mortes confirmadas pela doença desde o início da pandemia. Número ocorre apenas 9 dias após o Estado chegar a 14 mil vítimas da doença. Ainda são investigados 300 óbitos suspeitos e 67 já foram descartados. A taxa de letalidade da doença é de 2,72%.

Leitos

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), destinadas ao tratamento do novo coronavírus em Goiás é de 73,93%. Ao todo, 1.234 leitos exclusivos para tratar pacientes com suspeita ou confirmação do vírus, 928 estão ocupados.

Já em relação a leitos de enfermaria, a taxa de ocupação é de 44,16%. No total, Goiás possui 2.253 leitos do tipo. Destes, 995 estão ocupados.

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Neste final de semana, a PRF atendeu 16 acidentes que deixaram dez pessoas feridas e duas mortes nas rodovias federais que cortam o estado de Goiás.

Um rapaz de 26 anos morreu na manhã deste domingo (14), na BR 153, km 421, no município de Anápolis.

A vítima seguia no sentido Jaraguá/Anápolis conduzindo um VW Polo quando ele perdeu o controle da direção do carro, o veículo teve sucessivos capotamentos (frente/traseira), saiu da pista e foi parar no canteiro central.

O motorista que não usava o cinto de segurança foi lançado a cerca de 50 metros para fora o veículo, ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Na BR 050, km 284, às 14h30 no município de Catalão, um homem de 55 anos morreu após ocorrer uma colisão frontal entre dois veículos de passeio.

A vítima conduzia um Ford Fiesta e seguia no sentido Catalão/Araguari quando, por motivo ignorado, um VW Voyage que seguia no sentido oposto invadiu a pista contrária e colidiu frontalmente com o Fiesta, causando a morte do motorista.

A condutora do VW Voyage sofreu ferimentos graves e foi conduzida à Santa Casa de misericórdia de Catalão.

O esforço de fiscalização para garantir a mobilidade e a segurança viária resultou em 606 autuações de infrações de trânsito, sendo que dessas anotações, 60 foram flagrantes de condutores ou passageiros que não usavam o cinto de segurança, seis motoristas foram reprovados no teste de alcoolemia e 99 condutores foram flagrados ultrapassando em locais proibidos.

Os policiais rodoviários federais fiscalizaram 2.455 veículos e 1.934 pessoas que transitaram pelas rodovias federais goianas.

Fonte: PRF

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail

Segundo dados da Secretaria de Estado e Saúde de Goiás (SES-GO), o número de óbitos por covid-19 registrados no Estado durante as duas primeiras semanas de março quase se iguala ao registrado em todo o mês de fevereiro. Entre os dias 1º e 14 de março, Estado registrou 1.027 falecimentos; em todo o mês de fevereiro foram registrados 1.028 óbitos em decorrência da doença.

Segundo dados da secretaria, há 9.572 óbitos confirmados Goiás até o momento. Há, também, 246 óbitos suspeitos que estão em investigação. Em menos de um mês, a taxa de letalidade da doença no Estado subiu de 2,13% para 2,21%.

Ao todo, são 433.706 casos confirmados em território goiano, destes, há o registro de 411.180 pessoas recuperada. Ainda são investigados 364.374 casos da doença E 236.551 casos já foram descartados.​

Leitos

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados ao tratamento da covid-19 no Estado chegou à 99,52% na tarde deste domingo (14/3). São, no total, 625 leitos reservados, destes, 622 estão ocupados e apenas 3 estão disponíveis.

Já em relação a leitos de enfermaria, a taxa de ocupação é de 72,21%. Ao todo são 1.342 leitos, dos quais 969 estão ocupados.

Restrições

O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), em reunião virtual com os prefeitos da Região Metropolitana, anunciou que Goiânia deve ampliar por mais 14 dias as medidas restritivas de combate à Covid-19. Se confirmadas, as novas regras do decreto do Governo do Estado passam a valer a partir da próxima segunda-feira (15/3). Com isso, serão 28 dias de restrições, considerando os 14 que já passaram. A ideiam é que a situação da pandemia comece a melhorar esta semana se todos fizerem sua parte.

Na reunião, o prefeito defendeu medidas mais duras para o enfrentamento da pandemia em Goiânia e voltou a reafirmar que a abertura de mais leitos não é a única que soluciona a crise sanitária. “Compreendemos a gravidade do momento em que Goiânia e Goiás vivem, mas, como eu tenho dito, a simples abertura de leitos não é garantia de sobrevivência. Estamos empenhados em vencer esta pandemia com a participação de todos”, afirmou o prefeito.

*Com informações Jornal o Hoje 

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Os mercados iniciaram há dias uma “mobilização” para pressionar a autoridade monetária, agora autônoma, a retomar a política de aumentos nos juros básicos, tomando como pretexto a elevação dos índices inflacionários nas últimas semanas. Diante do poder de fogo desse pessoal, pode-se mesmo esperar alguma movimentação do Banco Central (BC) na direção pretendida pelo setor financeiro na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) prevista para os próximos dias 16 e 17. O cassino dos juros adoraria ver uma alta da taxa básica para 3,0% ao ano, saindo dos 2,0% que vigoram desde agosto do ano passado. Os mais realistas esperam um acréscimo de meio ponto de porcentagem.

Os juros básicos ainda continuariam em níveis historicamente baixos e inferiores à inflação, caracterizando a permanência de taxas negativas, mas com tendência a sofrer novos aumentos, a depender da capacidade de convencimento dos mercados. Essa perspectiva de correções sequenciais no custo do dinheiro gera ou deveria gerar preocupação, já que os mercados apostam numa taxa básica de 5,0% no final deste ano, o que seria desastroso para o lado real da economia, que já enfrenta aumento nos custos de insumos. Seja como for, o BC autônomo, portanto, parece já ter traçado seu destino imediato e tende a entregar pelo menos parte do que pedem os tais “agentes” dos mercados.

A despeito das pressões de custos experimentadas pela economia em geral, diante de aumentos nos preços das commodities (destacadamente no caso do petróleo, que ontem atingiu US$ 69,53 o barril nos mercados futuros, acumulando aumento de 13,7% em 30 dias) e das oscilações característicasno mercado de dólar, a piora galopante da pandemia em todo o País ao menos deveria ser levada à reunião dos representantes dos donos do dinheiro como um fator ao menosa ser ponderado.O agravamento da crise humanitária, com o número de mortes já superando o número macabro de 2,0 mil pessoas, deveria pelo menos causar alguma comoção nos mercados, já que os efeitos diretos sobre a atividade econômica tendem a ser muito mais severos do que se o País não enfrentasse um desgoverno e tivesse conseguido planejar e organizar uma reação conjunta contra a pandemia, contendo o avanço do Sars-CoV-2 e, portanto, das mortes.

Aceleração

Há dúvidas se o aumento dos juros produzirá efeitos de fato sobre o nível da inflação no País, já que o avanço recente das taxas inflacionárias não parecem ter a menor relação com pressões de demanda (que, ao contrário, tem dado mostras de retraimento neste começo de ano). No mês passado, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), aferido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atingiu 0,86%, depois de ter avançado 0,48% nas quatro semanas encerradas no dia 15 de fevereiro – o que demonstra forte aceleração em apenas uma quinzena, de fato. Em janeiro, o índice havia registrado 0,25% (acumulando, portanto, incremento de 0,61 pontos em 30 dias). A taxa de variação dos chamados “preços livres” subiu também, de 0,44% em janeiro para 0,57% no mês seguinte, numa variação muito mais contida (0,13 pontos).

Balanço

Na composição do IPCA de fevereiro, o peso dos combustíveis foi determinante. Por culpa da política de transmissão quase automática dos aumentos do petróleo no mercado internacional, adotada pela Petrobrás desde 2016, como se o País fosse integralmente dependente de importações nesta área.

Naquele mês, em conjunto, os preços da gasolina e do óleo diesel experimentaram altas de 7,11% e de 5,40%, com o etanol subindo 8,06% (por influência dos preços mais altos da gasolina, sua concorrente direta, e pela entressafra da cana, que reduziu a oferta doméstica). Essas altas levaram a um aumento conjunto de 7,09% para os combustíveis, o que, por sua vez, foi responsável por 48,8% do IPCA de fevereiro.

A contribuição dos aumentos naquela área sobe para praticamente 52,8% se considerada a variação de 2,98% sofrida pelo gás de botijão. Descontados esses aumentos, os demais preços experimentaram variação de 0,41% aproximadamente, ainda assim acima da taxa de 0,25% registrada em nos 30 dias terminados na segunda semana do mês passado (igualmente com a exclusão de combustíveis e gás).

*Com informações Jornal o Hoje

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

O governo anunciou a prorrogação do pagamento da última parcela ou cota única do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e do licenciamento veicular para veículos com placas final 0, em Goiás. O prazo para o pagamento segue até a próxima sexta-feira (11).

A terceira e última parcela do imposto teria vencimento no dia 30 de novembro. No entanto, o governo decidiu estender o prazo devido a oscilações no sistema bancário, que poderiam prejudicar parte dos usuários.

A prorrogação foi oficializada no último dia 1º, em publicação no Diário Oficial do Estado.

Como emitir o boleto

O boleto de pagamento pode ser emitido no site do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO), no portal da Secretaria da Economia ou pela emissão do código de barras pelo aplicativo Detran GO ON.

Em Goiás, o IPVA pode ser dividido em três parcelas ou em cota única já incluindo o licenciamento e as multas de trânsito pendentes. Segundo a Secretaria da Economia, o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) só é liberado após a quitação de todos os débitos com o Detran.

*Com informações Site Detran-GO

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

A Caixa Econômica Federal abrirá, amanhã (3), 770 agências para o pagamento a 9 milhões de beneficiários do auxílio emergencial e do saque emergencial do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O atendimento será das 8h às 12h.

Não é preciso chegar antes do horário de abertura. Em comunicado, a Caixa esclarece que todas as pessoas que procurarem as agências durante o funcionamento serão atendidas.

Os beneficiários do auxílio emergencial nascidos em maio – 4 milhões de pessoas – poderão sacar o benefício em dinheiro e os trabalhadores nascidos em junho – 5 milhões de pessoas – poderão retirar em espécie os valores referentes ao saque emergencial do FGTS.

No total, foram creditados R$ 5,8 bilhões, nas respectivas poupanças sociais da Caixa desses beneficiários. Os recursos já estavam disponíveis para movimentação digital por meio do aplicativo Caixa Tem e agora poderão ser sacados em espécie. Pelo aplicativo, é possível realizar compras, por meio do cartão de débito virtual e QR Code, pagar de boletos, contas de água, luz, telefone, entre outros serviços.

De acordo com a Caixa, os ciclos de crédito em conta e saques em espécie do auxílio emergencial seguem até dezembro, para o pagamento das cinco parcelas definidas pelo governo federal para o público do Cadastro Único e Bolsa Família e para quem se cadastrou pelo site ou aplicativo da Caixa. Ao todo, neste sábado, serão pagos R$ 218,3 bilhões do auxílio para 67,7 milhões de brasileiros, num total de 324,5 milhões de pagamentos.

No caso do saque emergencial do FGTS, 60 milhões de trabalhadores, nascidos de janeiro a dezembro, já têm acesso ao valor por meio do Caixa Tem. O valor total liberado é de R$ 37,8 bilhões.

A partir deste sábado (3), os trabalhadores nascidos em junho que tiveram o crédito e que não movimentaram a conta poupança digital ou que tenham saldo remanescente já poderão sacar o benefício em dinheiro. Também será possível transferir os valores, via Caixa Tem, para outra conta, seja da Caixa ou de outras instituições financeiras. (Agência Brasil)

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Um homem de 51 anos, suspeito de estuprar os próprios filhos, foi preso em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. Curiosamente, no momento da detenção, ele usava uma camiseta com os seguintes dizeres:

“Pai, certeza de um amigo para sempre”.

G1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito até a publicação desta reportagem.

A prisão ocorreu no Setor Marista Sul, em virtude de ação conjunta da Delegacia Estadual de Investigações Homicídios (DIH) e da Força Nacional. Também participaram policiais do Pará, onde o crime teria sido cometido.

De acordo com as investigações, também pesava contra o suspeito um mandado de prisão em aberto pelo crime de homicídio.

As idades dos filhos, como os crimes foram cometidos e outros detalhes da prisão devem ser divulgados pela polícia durante coletiva prevista para a manhã desta sexta-feira (25), em Goiânia.

G1 Goiás

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Ninguém acertou as seis dezenas da Mega-Sena sorteadas nesse sábado (22) à noite no Espaço Loterias Caixa, no Terminal Rodoviário Tietê, em São Paulo. Os números sorteados no Concurso 2.292 foram 06, 16, 18, 33, 42 e 57.

A quina teve 94 acertadores e cada um vai receber o prêmio de R$ 36,3 mil. Os 5.865 ganhadores da quadra terão o prêmio individual de R$ 831,43. A estimativa de prêmio do próximo concurso, na quarta-feira (26), é de R$ 47 milhões. 

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Várias atividades consideradas não essenciais reabrem as portas nesta terça-feira (14), em Goiânia, após a publicação do novo decreto municipal de flexibilização. Voltam a funcionar estabelecimentos como lojas do comércio de rua, restaurantes, bares e academias. No entanto, é preciso seguir padrões sanitários rígidos para evitar a disseminação do coronavírus.

Os horários para cada setor abrir são diferentes e foram definidos pela Prefeitura de Goiânia (veja abaixo). Em todos os casos, há medidas de segurança necessárias básicas, como disponibilizar álcool gel e manter o distanciamento entre as pessoas.

decreto que permitiu a liberação, assinado pelo prefeito Iris Rezende (MDB), foi publicado na segunda-feira (13). Ele seguiu as diretrizes do documento publicado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), horas antes.

Donos de bares e restaurantes vivem enorme expectativa, pois estão com as portas fechadas desde março. Nos últimos quatro meses, puderam funcionar apenas nos sistemas drive-trhu e delivery. Eles poderão operar com apenas 50% da capacidade máxima.

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Goiás (Abrasel-GO), Fernando Jorge, salientou que o movimento neste primeiro dia deve ser pequeno por ser início de semana, mês de férias e por muitas pessoas estarem fora da cidade. Por isso, ele crê que a retomada será tranquila.

“A cidade está tranquila, acredito que, reabrindo hoje, vamos abrir com a tranquilidade e passividade do goianiense na volta aos bares e restaurantes”, destaca.

O comércio de rua e shoppings chegaram a reabrir no mês passado algumas vezes após entidades vinculadas à categoria conseguirem liminares na Justiça. Mas as decisões foram cassadas e os estabelecimentos tiveram de fechar novamente.

Na Região da 44, tradicional polo de confecções do estado, o movimento de clientes nesta manhã foi bastante intenso. Muitas pessoas aproveitaram o primeiro dia de abertura para fazer compras.

Embora algumas lojas estivessem fechadas, a maioria reabriu e obedeceu as normas sanitárias, como medir a temperatura dos clientes e disponibilizar álcool gel.

As academias puderam funcionar por alguns dias – também via decisões do Judiciário. No entanto, da mesma forma, o setor acabou sendo fechado. Para a retomada, deverão funcionar com apenas 30% da capacidade.

O presidente do Sindicado das Academias de Goiás, Dennis Egídio Gonçalves Dias, disse que, apesar da liberação, as academias terão um retorno “lento” e que alguns empresários têm receio de reabrir porque podem ser surpreendidos com uma nova decisão determinando o fechamento a pedido pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO),.

“Muitos de nós ainda tem medo do Ministério Público. Isso aconteceu há pouco em Brasília, que abriu em um dia e o MP fechou no outro. Mas eu acredito que não [haverá decisão contrária na Justiça]. Como é uma decisão conjunta entre prefeitura e estado, não vai ter esse jogo de interesses. Esse medo do Ministério Público é pequeno”, afirmou.

Em nota, o MP-GO informou que encaminhou ofício à prefeitura no qual solicita “informações sobre o embasamento técnico-científico para a edição” do decreto que liberou as atividades. Foi estipulado um prazo de dois dias para resposta. No documento, pede ainda “informações sobre os protocolos gerais e específicos para a realização de atividades econômicas e não econômicas”.

Embora questionado, o MP não se pronunciou sobre as declarações do presidente do Sindicato das Academias.

Seguem proibidos de funcionar boates, salões de festas e jogos, cinemas, teatros e parques aquáticos. Também não são permitidos eventos presenciais públicos e privados de qualquer natureza.

Por causa da flexibilização, também houve aumento de movimento nos terminais de ônibus. A situação, que já era complicada, ficou ainda mais difícil.

Fiscalização

A Prefeitura de Goiânia promete uma fiscalização rigorosa dos cumprimentos dos protocolos sanitários estabelecidos. Ao todo, serão 220 fiscais monitorando a situação dos locais por meio de ronda ou denúncia via app Prefeitura 24h.

De acordo com Dagoberto Costa, coordenador da Central de fiscalização de Goiânia, locais como bares e restaurantes devem ficar atentos ao distanciamento. Ele também conta com a cooperação dos clientes.

“O principal na reabertura é o distanciamento dentro do bar. As mesas tem de ficar afastada no mínimo por 2 metros de distância. O bar tem que receber no máximo 50% da capacidade. Os clientes sentados à mesa podem ficar sem máscara, mas se levantou para ir ao sanitário ou pagar a conta, tem de colocá-la”, explica.

Fonte: G1 Goiás 

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
SUBIR PÁGINA