ÔĽŅ

CATEGORIA: Notícias

Em decisão tomada na 9ª Assembleia Diocesana, realizada em Ipameri, a Igreja decidiu por não comercializar bebida alcoólica em festas religiosas. A medida causou polêmica.

Festeiros na comunidade Tambioc√≥, Ta√≠s Borges e √änio Eduardo, estiveram na tarde de sexta ‚Äď feira (4) na Par√≥quia M√£e de Deus, em Catal√£o, para marcar data de uma reuni√£o, antes do in√≠cio da festa, marcada para o m√™s de julho. O ter√ßo acontecer√° entre 4 e 12 de julho, mas n√£o haver√° a parte festiva pela primeira vez em 50 anos de festa. ¬† ‚Äú√Č tradi√ß√£o a festa. Agora, deve participar s√≥ o pessoal da comunidade e familiares‚ÄĚ, disse a festeira. ‚ÄúO principal vai ter, que √© a reza do ter√ßo‚ÄĚ, diz o marido √änio.

O p√°roco da Par√≥quia M√£e de Deus, Frei Edgar, foi enf√°tico: ‚ÄúA festa √© para rezar‚ÄĚ, disse ele, explicando que a decis√£o n√£o foi dele, mas sim da Igreja, se referindo √† Assembleia que tomou a decis√£o. Segundo ele, a decis√£o foi tomada gradativamente, disse se referindo √†s Campanhas da Fraternidade realizadas desde 2001 que enfatizava a conscientiza√ß√£o contra as drogas. Frei Edgar disse ainda que a decis√£o foi tomada em assembleia. ‚ÄúA decis√£o √© a de n√ļmero 70, que diz que: fica proibida a venda de bebidas alco√≥licas em festas da Diocese de Ipameri‚ÄĚ.

Ele explicou que a reuni√£o que tomou a decis√£o, contou com a participa√ß√£o de representantes de pastorais de toda a diocese. ‚ÄúFizemos reuni√Ķes com festeiros, ningu√©m foi tomado de surpresa‚ÄĚ, disse, completando que colocaria a decis√£o em pr√°tica. ‚ÄúUma hora tinha que acontecer‚ÄĚ. Edgar detalhou o que ele chamou de raz√Ķes para a decis√£o: coer√™ncia de f√© e vida. ‚ÄúO que a gente prega, a gente coloca em pr√°tica‚ÄĚ. Ele disse ainda que a festa √© da Igreja. ‚ÄúO que √© Igreja? √Č um espa√ßo de encontro com Deus‚ÄĚ. Ainda de acordo com o p√°roco, a prioridade da Igreja n√£o √© com o lucro financeiro. ‚ÄúE sim o lucro da f√©, do amor‚ÄĚ.

Frei Edgar disse ainda que a decis√£o deve influenciar na queda da viol√™ncia. ‚ÄúAquilo que envolve os malef√≠cios da bebida ‚Äď brigas, acidentes, mortes. Ent√£o, estamos olhando para tudo isso. √Č coerente fazer essa proibi√ß√£o‚ÄĚ, taxou.

‚ÄúN√£o tenho nada contra quem bebe, mas o que quero √© preservar a decis√£o tomada‚ÄĚ. Com a decis√£o, de acordo com ele, ficam fora das tradicionais festas de ro√ßa, por exemplo, os bingos, os shows e toda a parte festiva. ‚ÄúVai ter levantamento de bandeira, reza, ter√ßo. Quem quer ir l√° para rezar, ser√° bem vindo‚ÄĚ.

 Festa do Rosário

A medida, de n√£o comercializar bebidas alc√≥olicas em festas da Igreja, √© para a toda a diocese de Ipameri, o que inclui a par√≥quia S√£o Francisco, que realiza, junto com a Irmandade Nossa Senhora do Ros√°rio, a tradicional Festa do Ros√°rio, que acontece no m√™s de outubro em Catal√£o. A Par√≥quia realiza tamb√©m outra tradicional festa: a de S√£o Francisco. Dom Guilherme, bispo da Diocese, explicou, por telefone, que a decis√£o foi tomada por maioria, isto √©, mais de 50% dos participante da Assembleia que se reuniu em Ipameri para discutir todas as quest√Ķes relacionadas √† Igreja: de Pastorais, Movimentos, Assuntos Econ√īmicos, al√©m dos Sacramentos (batismo, confiss√£o, primeira comunh√£o, crisma, casamento) e das festas, de acordo com o Bispo. Ele disse ainda que quatro ou cinco par√≥quias j√° n√£o comercializam bebidas alco√≥licas durante festas mesmo antes da Assembleia Diocesana. ¬†‚ÄúAs festas tanto das ro√ßas quanto nas cidades, continuam em tudo como antes, sendo que a parte religiosa √© o centro, mas isso em nada diminui a import√Ęncia da parte social, porque uma das normas diz que a primeira finalidade √© louvar a Deus, mas a segunda, ligada √† primeira, √© a confraterniza√ß√£o entre os irm√£os e irm√£s. Portanto, a festa social segue em tudo como era antes. Tamb√©m n√£o √© somente para os membros da Comunidade , mas aberta ao povo em geral. Apenas n√£o se vende bebida alco√≥lica, segundo a norma da Assembleia‚ÄĚ, explicou.

Dom Guilherme n√£o entrou em detalhe sobre a Festa do Ros√°rio, mas disse que ‚Äúo documento √© orientativo e normativo. Na medida do poss√≠vel √© para ser colocado em pr√°tica, mas √© um processo crescente, n√£o uma ‚Äúcamisa de for√ßa‚ÄĚ, disse, se referindo √† decis√£o pr√≥pria de cada par√≥quia. ‚ÄúO importante √© cada ano dar mais um passo, e isso, n√£o somente em rela√ß√£o √†s festas, mas a todas as diretrizes e normas aprovadas na Assembleia, como na Catequese, casamentos. As festas s√£o uma pequena parte da Assembleia toda. O importante √© toda a vida, pastoral e evangeliza√ß√£o‚ÄĚ.

Dom Guilherme, por mais de uma vez, ressaltou que o do documento √© orientativo e normativo: ¬†‚ÄúPe√ßo que seja acolhido e, na medida do poss√≠vel, posto em Pr√°tica‚ÄĚ, disse ele, ainda por telefone, afirmando que a decis√£o n√£o √© para ser vista como ‚Äúcamisa de for√ßa, mas nos possibilitam, na comunh√£o e participa√ß√£o, o testemunho da unidade eclesial na din√Ęmica e diversidade de nossa realidade‚ÄĚ.

Ele contou que a 9¬™ Assembleia contou com a participa√ß√£o de cerca de 150 pessoas, entre elas, todos os padres, l√≠deres de comunidades e pastorais, um leigo que n√£o participa de nenhum trabalho na Igreja, de 25 a 30 freiras (irm√£s religiosas), al√©m de dois jovens e duas crian√ßas por par√≥quia, sendo que um de cada jovem participa ativamente da Igreja e outro n√£o. ‚ÄúA decis√£o foi tomada em conjunto. Antes da Assembleia foram distribu√≠dos question√°rios para cada par√≥quia. E foi em cima das respostas desses questionamentos, que foram encaminhados os trabalhos para a Assembleia que analisou tudo e todos puderam, por voto livre, manifestar sua opini√£o, disse Dom Guilherme, ressaltando que as decis√Ķes tomadas foram acatadas por 75% dos participantes. ‚ÄúAlgumas de menor import√Ęncia, tiveram aprova√ß√£o de 55%, portanto essas decis√Ķes n√£o s√£o do Bispo ou do padre, mas da Assembleia‚ÄĚ.

Ao final, Dom Guilherme explicou ainda que depois da publica√ß√£o do documento aprovado em Assembleia, o documento √© encaminhado a cada par√≥quia para que o Conselho de Pastoral, que √© presidido pelo P√°roco (na Par√≥quia M√£e de Deus, frei Edgar) d√™ sua decis√£o final. ‚ÄúO Centro da Assembleia n√£o foram as festas religiosas e sim a evangeliza√ß√£o e a vida pastoral, onde as festas religiosas fazem parte importante‚ÄĚ.

  Fonte: Jornal Gazeta do Dia

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

¬†Mais de R$ 4 milh√Ķes ser√£o investidos no apoio a projetos de educa√ß√£o, cultura, meio-ambiente, esporte, lazer e economia local

A Anglo American divulgou o resultado final do Edital de Projetos Sociais 2014 com recursos pr√≥prios. Em janeiro a companhia j√° havia anunciado as iniciativas financiadas via Lei de Incentivo Fiscal. Ao todo, a empresa investir√° mais de R$ 4 milh√Ķes em 2014 nos munic√≠pios de Catal√£o e Ouvidor, onde possui opera√ß√Ķes de Ni√≥bio e Fosfatos. O objetivo √© apoiar a melhoria da qualidade de vida nessas comunidades, fomentando o desenvolvimento socioecon√īmico para garantir a sustentabilidade dos munic√≠pios.¬†

¬†O edital √© voltado para organiza√ß√Ķes sem fins lucrativos e √≥rg√£os p√ļblicos que tenham propostas nas √°reas de educa√ß√£o e assist√™ncia social, cultura, esporte, lazer, meio ambiente, gera√ß√£o de renda, sa√ļde e seguran√ßa. A lista dos projetos aprovados e os crit√©rios de sele√ß√£o est√£o dispon√≠veis no site:¬†www.socialangloamerican.com.br.

¬†Al√©m disso, outros projetos continuar√£o recebendo apoio este ano, como √© o caso do PAT – Pequeno Aprendiz no Tr√Ęnsito, e do PROERD ‚Äď Programa Educacional de Resist√™ncia √°s Drogas e √† Viol√™ncia. As parcerias entre a Anglo American e institui√ß√Ķes que primam pelo desenvolvimento de Catal√£o e Ouvidor tamb√©m ser√£o mantidas.

 

Projetos aprovados com recursos próprios

¬†O projeto ‚ÄúEra Uma Vez na Escola‚ÄĚ, aprovado via edital de Investimento Social, √© desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educa√ß√£o de Ouvidor. Seu objetivo √© melhorar o processo de aprendizagem incentivando a leitura, al√©m de combater o analfabetismo funcional entre as 583 crian√ßas e adolescentes que estudam na rede municipal de ensino.

¬†J√° o ‚ÄúOuvidor Recicla Mais‚ÄĚ √© respons√°vel por envolver toda a popula√ß√£o da cidade em iniciativas de conscientiza√ß√£o sobre a coleta seletiva. Coordenado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Ouvidor, o projeto tamb√©m viabiliza formas simples de destina√ß√£o dos res√≠duos recicl√°veis, atrav√©s da instala√ß√£o de lixeiras especiais nos √≥rg√£os e espa√ßos p√ļblicos do munic√≠pio.

¬†O prefeito de Ouvidor, Onofre Galdino Pereira J√ļnior, destaca que os projetos s√£o voltados para √°reas fundamentais na cidade. ‚ÄúO projeto ‚ÄúEra Uma Vez na Escola‚ÄĚ contribuir√° na forma√ß√£o das crian√ßas e adolescentes do munic√≠pio e o ‚ÄúOuvidor Recicla Mais‚ÄĚ ir√° melhorar a coleta de lixo, contribuindo para a preserva√ß√£o ambiental. Sem o apoio da Anglo American n√£o seria poss√≠vel a execu√ß√£o desses projetos‚ÄĚ, comenta Onofre Galdino Pereira J√ļnior, prefeito de Ouvidor.

¬†Em Catal√£o, por meio do projeto Avan√ßa COOTRACAT, ser√° implantado um novo galp√£o com o intuito de melhorar o processo de separa√ß√£o do material recicl√°vel. A iniciativa, proposta pela Cooperativa dos Trabalhadores Aut√īnomos de Catal√£o, ter√° impacto direto em 45 fam√≠lias dos cooperados e garantir√° √† cidade uma destina√ß√£o adequada de materiais recicl√°veis.

 Já o Esporte, Educação e Cultura, coordenado pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Catalão, promove a inclusão social de mil crianças e adolescentes moradores de comunidades com vulnerabilidade social.

¬†Para o prefeito de Catal√£o, Jardel Sebba, o apoio aos projetos √© de grande valor para a cidade.¬†“Como gestor p√ļblico estou muit√≠ssimo satisfeito com a intera√ß√£o que a Anglo American tem com os cidad√£os de Catal√£o. Esses projetos sociais que a empresa desenvolve na cidade marcam de maneira indel√©vel a vida de nossos mun√≠cipes”, ressalta Jardel Sebba.

 Investimentos em segurança

¬†A Anglo American tamb√©m refor√ßa seu compromisso com a seguran√ßa e forma√ß√£o de crian√ßas e adolescentes dos munic√≠pios de Catal√£o e Ouvidor e por isso, a companhia continuar√° apoiando dois projetos executados na regi√£o.¬†O primeiro deles √© o PAT (Pequeno Aprendiz no Tr√Ęnsito), realizado pela Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal de Goi√°s (PRF – GO). O programa desenvolve trabalhos de educa√ß√£o no tr√Ęnsito com alunos de onze escolas municipais, estaduais e conveniadas de Catal√£o e Ouvidor. ¬†

¬†J√° o¬†PROERD (Programa Educacional de Resist√™ncia √†s Drogas e √† Viol√™ncia)¬†consiste em um esfor√ßo cooperativo da Pol√≠cia Militar, educadores, pais e comunidade para oferecer atividades educacionais em sala de aula, a fim de prevenir ou reduzir o uso de drogas e a viol√™ncia entre crian√ßas e adolescentes. O foco principal do programa est√° em auxiliar os alunos a reconhecerem e resistirem √†s press√Ķes diretas ou indiretas que os influenciam para experimentar √°lcool, cigarro, drogas ou mesmo se engajarem em atividades violentas.

 

Parcerias para desenvolvimento local em 2014

¬†Visando impulsionar o crescimento econ√īmico dos munic√≠pios de Catal√£o e Ouvidor, a Anglo American tamb√©m anunciou parceria com a Consultoria TechnoServe, empresa que desenvolve Programas de Empreendedorismo, Desenvolvimento de Fornecedores e Desenvolvimento Econ√īmico Local nos munic√≠pios de Catal√£o e Ouvidor.¬†A iniciativa contemplar√° 50 empresas de micro, pequeno e m√©dio porte (MPMEs) e oferecer√° assessoria empresarial para as diferentes necessidades dos empreendedores da regi√£o. ‚ÄúMelhorar a qualidade dos fornecedores locais √© uma prioridade para a Anglo American, pois uma rede de servi√ßos eficiente fortalece a economia local, gera renda e atrai novos investimentos para os munic√≠pios‚ÄĚ, ressalta Marcos Stelzer, Diretor de Suprimentos e Comercial da Anglo American.

 A parceria com a CARE Brasil também continua este ano. Além da nova edição do Programa de Capacitação em Gestão de Projetos Sociais, onde os participantes aprendem a elaborar projetos e redigir propostas de acordo com as regras estabelecidas por empresas ou órgãos, a ONG realizará o programa Educação Rural, que capacita jovens e adolescentes sobre práticas financeiras e empreendedoras que contribuam com as rotinas das famílias que residem no campo.

 

Projetos financiados via Leis de Incentivo Fiscal

 

Em janeiro a Anglo American divulgou os projetos financiados pela companhia atrav√©s da Lei de Incentivo Fiscal. Os selecionados foram: Orquestra de Viol√Ķes e Coral Nova Vida, Ballet para Todos, Inclus√£o Musical, M√£os que Tocam, Sensa√ß√Ķes do Brasil, al√©m de projetos que recebem recursos por meio do Fundo Municipal da Crian√ßa e do Adolescente (FUMCAD) de Ouvidor e Catal√£o.

 

Sobre a Anglo American

 

A Anglo American plc. √© uma das maiores companhias de minera√ß√£o do mundo, com sede no Reino Unido e a√ß√Ķes negociadas nas bolsas de Londres e Johanesburgo. Seu portf√≥lio de neg√≥cios atende √†s diferentes necessidades dos clientes e abrange commodities de alto volume ‚Äď min√©rio de ferro e mangan√™s; carv√£o metal√ļrgico e carv√£o mineral; metais b√°sicos e minerais ‚Äď cobre, n√≠quel, ni√≥bio e fosfatos; e metais e minerais preciosos ‚Äď nos quais √© l√≠der global em platina e em diamantes.

¬†A Anglo American √© comprometida com a realiza√ß√£o de um trabalho alinhado aos seus stakeholders – investidores, clientes, parceiros e empregados¬†– para criar valor sustent√°vel que faz a diferen√ßa, respeitando os mais altos padr√Ķes de seguran√ßa e responsabilidade em todos os seus neg√≥cios e localidades. As opera√ß√Ķes de minera√ß√£o, projetos de expans√£o e atividades de explora√ß√£o da empresa est√£o presentes no sul da √Āfrica, Am√©rica do Sul, Austr√°lia, Am√©rica do Norte, √Āsia e Europa.

¬†A empresa atua no Brasil desde 1973 e hoje est√° presente no Pa√≠s com quatro produtos: min√©rio de ferro, com o Minas-Rio, o maior projeto de explora√ß√£o de min√©rio de ferro em desenvolvimento no mundo; n√≠quel, com opera√ß√Ķes nos munic√≠pios de Barro Alto e Niquel√Ęndia, em Goi√°s; fosfato, com as opera√ß√Ķes nos munic√≠pios de Ouvidor (GO), Catal√£o (GO) e Cubat√£o (SP), e ni√≥bio, presente nos munic√≠pios de Catal√£o e Ouvidor, em Goi√°s.

 

Mais informa√ß√Ķes sobre a empresa est√£o dispon√≠veis no site¬†www.angloamerican.com.br.¬†

 

Fonte: Ascom

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Segundo informa√ß√Ķes da Delegada da Pol√≠cia Civil,¬†Alessandra Maria de Castro, foi feito pelo Institu√≠do Medico Legal (IML) um exame preliminar na garota que diz ter sido violentada por um policial militar, ap√≥s uma abordagem em Catal√£o. Ficou constatado que a menor manteve conjun√ß√£o carnal, a Delegada ainda informou que, por tudo o que j√° foi apurado at√© agora, existem motivos para o indiciamento do policial militar. Alessandra afirmou que o inqu√©rito deve ser conclu√≠do at√© o final da semana.¬†

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Foi realizada no sábado, 29, a primeira cirurgia de captação de órgãos do interior de Goiás. O procedimento foi realizado no Hospital Nasr Faiad, em Catalão e demorou cerca de três horas, mobilizando a equipe da Central de Transplantes do Estado de Goiás que veio à cidade para captar os órgãos.

Todo o processo come√ßou no dia anterior, quando foi detectada a morte cerebral do paciente, natural de Campo Alegre e que morreu, v√≠tima de hipertens√£o intracraniana depois de sofrer um AVC, segundo o m√©dico que estava de plant√£o na UTI do HNF, Petterson Fran√ßa. ‚ÄúTemos um protocolo a seguir. O primeiro, constatar a morte cerebral. Ela √© confirmada por meio de dois exames feitos em intervalo de seis horas, sem interfer√™ncia externa e realizados por dois m√©dicos diferentes. Depois fazemos um exame por imagem para constatar a morte cerebral. Ent√£o, colhemos sangue para provas de compatibilidade e sorologias para que seus √≥rg√£os possam ser disponibilizados para o banco nacional de √≥rg√£os. Esses exames n√£o s√£o feitos em Catal√£o. Contamos com a ajuda primordial para o transporte do material que foi feito por um carro da prefeitura. Se n√£o fosse a vontade e imediata presteza do senhor Idelvan (Idelvan Evangelista, do Departamento de Transportes do munic√≠pio), isso tudo poderia n√£o ter acontecido, porque ele deixou ao nosso dispor, imediatamente, um ve√≠culo com motorista para levar o material para Goi√Ęnia‚ÄĚ, disse o m√©dico, contando que o paciente ficou internado na UTI do hospital por 10 dias pelo SUS (Sistema √önico de Sa√ļde).¬†

O segundo procedimento, segundo ele, √© contar √† fam√≠lia e abrir uma possibilidade para a doa√ß√£o dos √≥rg√£os poss√≠veis. No caso do seo Heleno Hil√°rio, 56 anos, todos os √≥rg√£os poderiam ser doados, por√©m, ele era portador da doen√ßa de Chagas, o que inviabiliza capta√ß√£o de alguns √≥rg√£os ‚Äúpor quest√Ķes de falta de compatibilidade na fila de transplantes, haja visto que os receptores tamb√©m teriam que ter doen√ßa de Chagas‚ÄĚ, explicou o m√©dico. No caso do seo Heleno, foram captados os rins e as duas c√≥rneas. ‚ÄúA emo√ß√£o? O resultado, que √© beneficiar quatro pessoas. S√£o quatro pessoas que sair√£o da fila do transplante‚ÄĚ, disse o m√©dico, j√° emocionado, antes mesmo de iniciar a cirurgia de capta√ß√£o.

O m√©dico, que veio de S√£o Paulo para morar em Catal√£o e trabalhar no Nasr Faiad (ele √© Cardiologista, com sub-especializa√ß√£o em imagem cardiovascular e trabalhou em Hospitais de renome na capital Paulista, dentre eles o Hospital Albert Einstein e Hospital Benefic√™ncia Portuguesa de S√£o Paulo (onde teve a oportunidade de trabalhar com a equipe do doutor Ben-hur Ferraz Neto, o maior cirurgi√Ķes especialista em transplante hep√°tico no mundo). Evidenciou ainda o trabalho da equipe e a estrutura tecnol√≥gica do hospital para a realiza√ß√£o do procedimento, o primeiro no interior do Estado. Por volta das 15h30, a fam√≠lia do seo Heleno chegou de Campo Alegre para o √ļltimo adeus ao irm√£o, que n√£o era casado e n√£o tinha filhos. A emo√ß√£o tomou conta de todos, incluindo o sobrinho, Claudemar Alves Hil√°rio, que¬†falou com a imprensa e ressaltou o gesto da fam√≠lia em doar os √≥rg√£os do tio. ‚ÄúA gente resolveu doar, porque tem muitas pessoas precisando. N√£o √© f√°cil para a gente, n√£o √© f√°cil falar. Mas a gente gostaria de incentivar as pessoas a doarem tamb√©m porque a gente pode a vir precisar tamb√©m. Ent√£o, a gente resolveu a doar para ajudar as pessoas‚ÄĚ, disse ele, emocionado. ‚ÄúMeu tio cantava, compunha m√ļsica, queria ser famoso e tal, ent√£o, por um lado √© um jeito de ele ser famoso. A gente est√° levando um pouquinho do sonho dele para frente, que √© ser uma pessoa famosa tamb√©m. Tomara que essas pessoas que receber√£o esses √≥rg√£os fa√ßam bom uso deles‚ÄĚ, ressaltou.

Claudeomar disse ainda da facilidade, que ele considerou o fato da cirurgia de capta√ß√£o ser realizada em Catal√£o, trazendo mais tranquilidade para a fam√≠lia. ‚Äú√Č menos sofrimento, n√©. Imagina a gente ter que leva ‚Äď lo para Goi√Ęnia, ficar esperando naquela ang√ļstia, ent√£o, Catal√£o tendo essa condi√ß√£o de fazer esse tipo de transplante (capta√ß√£o de √≥rg√£os) √© um ganho grande para a regi√£o. A gente fica feliz de poder ajudar nesse ponto a√≠‚ÄĚ.¬†

‚ÄúFoi tudo pelo SUS. Tivemos a aten√ß√£o de todo mundo. O doutor (Petterson Fran√ßa) que cuidou de tudo recebeu a gente muito bem e parab√©ns a equipe da Casa aqui (Hospital Nasr Faiad). A gente fez (a op√ß√£o de doar os √≥rg√£os) de cora√ß√£o, ningu√©m foi for√ßado a nada, a gente que quis doar mesmo para ajudar as pessoas mesmo‚ÄĚ, concluiu o sobrinho.

‚ÄúN√≥s n√£o temos palavras para agradecer a fam√≠lia. Eu acho uma atitude altru√≠sta da fam√≠lia e de um exemplo √≠mpar que tem que ser seguido. Essa fam√≠lia acaba de beneficiar quatro pessoas. Ent√£o, a gente s√≥ tem a agradecer‚ÄĚ, falou o m√©dico direcionando √† fam√≠lia que aguardava pr√≥ximo √† UTI onde o seo Heleno estava internado. ‚ÄúO m√©dico est√° bastante emocionado, primeiramente pela atitude da fam√≠lia, uma atitude comovente: na batalha perdida, voc√™ tem a vit√≥ria. Ent√£o, a primeira emo√ß√£o √© essa. A segunda √© voc√™ poder beneficiar outras pessoas que √© salvar. E eu transfiro parte da minha emo√ß√£o, minha emo√ß√£o toda para minha equipe. Sem a equipe, a gente n√£o teria conseguido nada do que a gente conseguiu e sem a fam√≠lia‚ÄĚ, disse bastante emocionado Petterson Fran√ßa.

Como foi o primeiro procedimento de capta√ß√£o de √≥rg√£os, realizado no interior do Estado, o m√©dico acredita que outros tantos poder√£o ser feitos aqui, no Hospital Nasr Faiad. ‚ÄúA partir de agora, a gente conseguiu via Central de Transplantes e via Hospital Nasr Faiad, deixar bem claro que temos tanto recurso tecnol√≥gico quanto profissional para realizar outras capta√ß√Ķes. Que isso sirva de exemplo para que a gente consiga mais e mais beneficiar outras pessoas‚ÄĚ.

A cirurgia correu dentro do esperado, disse especialista

Os m√©dicos da Central de Transplante chegaram por volta das 15h45 no hospital. A equipe era composta por dois m√©dicos especialistas, al√©m de uma m√©dica, do Hemocentro de Catal√£o, que fez a coleta das c√≥rneas. Ao final de todo procedimento, que durou pouco menos de tr√™s horas, as equipes, do Nasr Faiad e da Central de Transplantes, deixaram o Centro Cir√ļrgico com o sorriso estampado nos rostos. Foram captados as duas c√≥rneas e os dois rins do pacientes, que seguiram, primeiramente para Goi√Ęnia, transportados em caixas e especiais. ‚ÄúA cirurgia foi toda tranquila. Foi dentro do esperado. A gente fez a capta√ß√£o, agora temos que

correr para o aeroporto, levar esses rins que eles precisam ser transplantados, mas foi tudo tranquilo, dentro do esperado‚ÄĚ, disse o m√©dico Bernardo Monteiro Antunes Barreiro, da equipe da Central de Transplantes do HGG. A equipe do Hospital Nasr Faiad tamb√©m ganhou elogios do m√©dico: ‚ÄúA equipe do hospital, a gente tem que agradecer. Estava todo mundo preparado, ajudou a gente bem. Foi muito tranquilo‚ÄĚ, relatou, lembrando que um dos receptores dos rins √© de Pernambuco. As c√≥rneas, a equipe ainda n√£o sabia para onde iam ser transportadas.

‚ÄúEu acho que tem que gerar frutos. A gente precisa fazer isso mais, incentivar a doa√ß√£o de √≥rg√£os. A gente imagina que, talvez, fazendo esse tipo de a√ß√£o, possamos incentivar mais as pessoas aqui do interior a tentarem a doar mais os √≥rg√£os. A gente precisa muito disso‚ÄĚ.

Assessoria de imprensa do HNF

 

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

A Pol√≠cia Civil abriu inqu√©rito para investigar o acidente entre um √īnibus e uma caminhonete que ocorreu na √ļltima quinta-feira (27) e deixou quatro mortos e na GO-330, em¬†Catal√£o, regi√£o sudeste de Goi√°s. ¬†O delegado respons√°vel pelo caso, Vitor Oliveira Magalh√£es j√° come√ßou a ouvir os envolvidos, inclusive os motoristas dos dois ve√≠culos. Eles deram vers√Ķes diferentes para a colis√£o.

“O motorista do √īnibus alega que estava seguindo viagem na sua m√£o, a 80 km/h, e no final da curva, foi surpreendido com a caminhonete que invadiu a pista dele. J√° o condutor da Ford F-250 disse que foi o √īnibus quem invadiu a faixa. Estamos apurando as responsabilidades em rela√ß√£o aos mortos e feridos para dar andamento ao inqu√©rito”, disse Magalh√£es ao¬†G1.

A Pol√≠cia Rodovi√°ria Estadual (PRE) j√° havia informado que a caminhonete teria causado a batida. No entanto, o delegado explicou que ainda n√£o teve acesso ao registro da ocorr√™ncia. Ele aguarda ainda o laudo feito pela Pol√≠cia T√©cnico-Cient√≠fica para poder concluir o inqu√©rito. “S√≥ esse documento poder√° revelar detalhes como o ponto de colis√£o e onde estavam as marcas de frenagem, por exemplo”, destaca.¬†

No decorrer da semana, testemunhas do acidente, como bombeiros e policiais, al√©m de outros passageiros do √īnibus, dever√£o ser ouvidos pela pol√≠cia.

Feridos
De acordo com a Pol√≠cia Rodovi√°ria Estadual (PRE), ap√≥s a colis√£o, o √īnibus se desgovernou e caiu em um barranco de aproximadamente tr√™s metros.Todas as v√≠timas fatais e feridos eram ocupantes do √īnibus, que seguia viagem para Goi√Ęnia.

Segundo a Santa Casa de Catal√£o, 15 pessoas foram levadas para a unidade ap√≥s o acidente. Nove j√° tiveram alta e cinco, incluindo uma garota de 3 anos, continuam internados. Quatro deles passaram por cirurgia. O estado de sa√ļde de todos eles √© considerado est√°vel.

Outra paciente, de 50 anos, foi transferida ainda no dia do acidente, para o Hospital de Urg√™ncias de Goi√Ęnia (Hugo). Segundo a assessoria de imprensa da unidade, o estado de sa√ļde dela √© considerado grave e ela respira com ajuda de aparelhos.

Único ocupante da caminhonete, o motorista teve apenas ferimentos leves na mão, embora o veículo tenha ficado completamente destruído.

Ao¬†G1, a assessoria de imprensa da Expresso Araguari, propriet√°ria do ve√≠culo, informou que 18 pessoas, al√©m do motorista, estavam a bordo do √īnibus.


COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Seis v√≠timas do acidente entre um √īnibus e uma caminhonete na GO-330, que deixou quatro mortos em Catal√£o, continuam internados na manh√£ desta sexta-feira (28). Uma das v√≠timas, uma mulher de 50 anos, foi transferida para o Hospital de Urg√™ncias de Goi√Ęnia (Hugo), em estado grave. Segundo a unidade, ela respira com a ajuda de aparelhos.

J√° na Santa Casa de Miseric√≥rdia de Catal√£o permanecem internadas cinco pessoas, todas com estado de sa√ļde est√°vel. Segundo o hospital, nove v√≠timas tiveram alta.¬†

A colis√£o frontal entre a caminhonete e o √īnibus matou quatro pessoas na manh√£ de quinta-feira (27). N√£o resistiram aos ferimentos dois homens, de 26 e 27 anos, uma jovem de 20, e um idoso de 68 anos. Ap√≥s balan√ßo total, foram confirmados 15 feridos no acidente.

De acordo com a Pol√≠cia Rodovi√°ria Estadual (PRE), ap√≥s a colis√£o, o √īnibus se desgovernou e caiu em um barranco de aproximadamente tr√™s metros. Todas as v√≠timas fatais e feridos eram ocupantes do √īnibus, que seguia viagem para Goi√Ęnia.

Único ocupante da caminhonete, o motorista teve apenas ferimentos leves na mão, embora o veículo tenha ficado completamente destruído.

Ao¬†G1, a assessoria de imprensa da Expresso Araguari, propriet√°ria do ve√≠culo, informou que 18 pessoas, al√©m do motorista, estavam a bordo do √īnibus.

(Com Informa√ß√Ķes G1 Goi√°s)¬†

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Geraldo Rocha assume presidência do Sindicato do Comércio Varejista para o Quadriênio 2014-2018

Durante a posse, o novo presidente conseguiu o tão sonhado terreno para a sede própria do Sindicato.

Na noite de sexta-feira, 21 de março, foi realizada no salão de festas da ACIC/CDL, a posse da nova diretoria do Sindicato do Comércio Varejista para o Quadriênio 2014/2018.

V√°rias autoridades acompanharam a posse, entre elas, os presidentes das Associa√ß√Ķes Comerciais das cidades de Ipameri, Morrinhos e Catal√£o, ex-presidentes do Sindicato do Com√©rcio Varejista de Catal√£o, representantes de entidades como Senai, Senac, Sebrae, e tamb√©m representante da Secretaria de Ci√™ncia e Tecnologia do Estado de Goi√°s, al√©m de secret√°rios municipais e vereadores da cidade.

O evento foi aberto pelo até então presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Catalão, Pedro Borges da Silva, que deu boas vindas aos presentes e fez um breve relato do trabalho realizado por sua diretoria nos anos que esteve frente ao sindicato.

Em seguida os novos diretores foram empossados pelo presidente do Sistema Fecomércio SESC/SENAC de Goiás, José Evaristo dos Santos.

O Fecom√©rcio¬† √© um grupo de sindicatos que comp√Ķem a base do sistema federativo brasileiro.¬† Na base est√£o os sindicatos que s√£o bastante atuantes e importantes, porque est√£o ligados aos seguimentos nos quais eles representam. O Sindicato do Com√©rcio Varejista de Catal√£o tem na sua composi√ß√£o os empres√°rios do varejo de todos os setores da economia, e, com os outros 28 sindicatos comp√Ķem a base da Federa√ß√£o do Com√©rcio.

‚ÄúCatal√£o tem uma import√Ęncia muito grande neste contexto. E esperamos boa participa√ß√£o, boas ideias, boas sugest√Ķes, e que possamos retribuir em Catal√£o com a presta√ß√£o de servi√ßos. O Pedro Borges foi um excelente companheiro, sempre com muita lealdade, participando de todos os eventos do nosso sistema. Cada um tem seu tempo a sua oportunidade. Cumpriu o seu momento, mas vai continuar contribuindo pela experi√™ncia. O Geraldo Rocha j√° fazia parte da diretoria do Pedro. O Geraldo j√° √© experiente, pois j√° comp√Ķem o sistema na assessoria jur√≠dica ao sindicato, e com outras atribui√ß√Ķes ele tem uma experi√™ncia que ser√° de grande valia para o sindicato.‚ÄĚ, disse Evaristo do Sistema Fecom√©rcio.

Ao ser empossado, o presidente eleito do Sindicato do Com√©rcio Varejista de Catal√£o, Geraldo Vieira Rocha declarou que para os pr√≥ximos quatro anos sua diretoria far√° com que a classe empresarial se una mais. Geraldo n√£o perdeu tempo, e pediu publicamente o terreno para o prefeito Jardel Sebba. ‚ÄúO sonho da constru√ß√£o da sede pr√≥pria tamb√©m √© compromisso da nossa gest√£o, por isso pe√ßo a doa√ß√£o do terreno ao prefeito Jardel Sebba. Quero valorizar ainda mais a classe empresarial de Catal√£o. Ter a classe laboral como parceira, temos um trabalho longo a ser feito. Nossa principal fun√ß√£o √© representar juridicamente a classe empresarial.‚ÄĚ

Um dos principais desafios que Geraldo Rocha e sua diretoria ter√£o pela frente √© quebrar o paradigma do com√©rcio, onde o giro do com√©rcio √© mais de 60 por cento, com isso existe uma tend√™ncia das pessoas trabalharem no com√©rcio menos de um ano e pedirem conta. ‚ÄúQueremos valorizar os trabalhadores, dando incentivo, criando condi√ß√Ķes que eles possam ganhar mais dentro do com√©rcio, isso vai ser feito atrav√©s de capacita√ß√Ķes, ladeado ao sindicato dos empregados, n√≥s queremos ser parceiros.‚ÄĚ

No que depender do prefeito de Catal√£o, Jardel Sebba, as parcerias ser√£o muitas. Durante o evento, ao falar aos presentes, o prefeito j√° afirmou que doar√° em regime de comodato o terreno para o Sindicato do Com√©rcio Varejista construir sua t√£o sonhada sede.¬† ‚ÄúA prefeitura est√° √† disposi√ß√£o de todos os empossados. Podem me procurar que voc√™s ter√£o esse lote. Vamos mapear e encontrar um local adequado. Fa√ßo um compromisso p√ļblico e vou doar o terreno. Devemos e podemos fazer parcerias.‚ÄĚ

 

COMPONENTES DA DIRETORIA QUADRIÊNIO 2014/2018 :

PRESIDENTE: GERALDO VIEIRA ROCHA

VICE ‚Äď PRESIDENTES:

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† HUGO MORAES

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† CHAHADEH DAMACH

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† DARLENE MARTINS

SECRET√ĀRIOS

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† RUBISMAR MARTINS TEIXEIRA

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† MARCELO DONISETE CARDOSO

TESOUREIROS

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† JUVEN√ćLIA ELIAS DA SILVA

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† REGINALDO CAMARGO RIBEIRO

DIRETOR DE PATRIM√ĒNIO

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† JOS√Č ARRUDA HON√ďRIO

DIRETOR DE COMUNICAÇÃO E MARKETING

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† LUCIANO RODRIGUES DA COSTA

DIRETORAS SOCIAIS

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† MARIA APARECIDA DE REZENDE

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† ANA MARIA BORGES DA SILVA

DIRETOR DE RELA√á√ēES JUR√ćDICAS

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† DR. GERALDO VIEIRA ROCHA J√öNIOR

DIRETOR DE RELA√á√ēES JUR√ćDICAS, FISCAIS E

TRIBUT√ĀRIAS

– MARCELO CORDEIRO SILVA

 

CONSELHO FISCAL

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† TE√ďFILO EVANGELISTA DA ROCHA¬† NETO

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† RUBSON DOS SANTOS MOURA

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† FL√ĀVIO GARCIA ALVARENGA

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† GONZAGA ARRUDA

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† GUILHERME FREITAS BARBOSA

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† GILMAR RODRIGUES DA COSTA

 

DELEGADOS SINDICAIS

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† GERALDO VIEIRA ROCHA

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† HUGO MORAES

–¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†WELLINGTON COELHO ALVES

–¬†¬†¬† FABIANA GAROLA DA SILVEIRA ARRUDA

 

Luciana Machado –¬† Assessora de Comunica√ß√£o

 

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

O  Corpo de Bombeiros foi acionado para comparecer até a Rua Alfredo Mori, no bairro Três Cruzes hoje por volta das 08h30m em Catalão. Chegando ao local o Corpo de Bombeiros adentrou a residência e constatou que a senhora Neusa Ferreira da Motta, de 79 anos de idade, estava no quarto caída ao lado da cama.Segundo relatos dos bombeiros, a vítima apresentava estar morta a dois dias.

Segundo os relatos dos vizinhos para nossa reportagem, eles afirmaram que dona Neusa estava a dois dias sem sair na porta de sua residência, e hoje alguns vizinhos preocupados com ela, adentraram a residência, e ao subirem em uma escada e retirar algumas telhas próximas ao quarto da vítima, depararam com a mesma caída ao chão. Logo em seguida a PM foi acionada.

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

Um Jovem de 18 anos √© morto e outro fica ferido na madrugada deste s√°bado em Catal√£o. Aconteceu na madrugada desta s√°bado (08), por volta das 04h20m, mais um homic√≠dio em Catal√£o, desta vez o fato ocorreu na Rua S√£o Luiz, em frente ao n√ļmero 1072, no Bairro Jardim Para√≠so. Segundo os relatos de testemunhas, a v√≠tima Gustavo Henrique de Sousa, vulgo Badeco, estava na companhia de seu irm√£o, quando se aproximou um ve√≠culo com duas pessoas dentro e disparou v√°rios tiros contra Gustavo e seu irm√£o.

Um disparo alvejou o irmão de Gustavo no braço, já Gustavo não teve a mesmo sorte, foi alvejado com dois disparos, sendo um no peito e outro na cabeça. Os bombeiros foram acionados e compareceram no local, conduzindo a vítima ferida até o Pronto Socorro da Santa Casa de Catalão, ele foi atendido e liberado algumas horas depois. Já Badeco foi levado para o Instituto Medico Legal de Catalão para o exame de balística. A Polícia Militar está fazendo diligências pelo local para prender o autor desse homicídio.

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
CATEGORIA: Notícias

J√° n√£o bastasse a confus√£o em torno da Portuguesa sendo rebaixada e o Fluminense permanecendo na S√©rie A no ‚Äútapet√£o‚ÄĚ, o futebol brasileiro vive mais um capitulo de bagun√ßa, em pleno ano de Copa do Mundo no pa√≠s. Nesta quinta-feira, o Superior Tribunal de Justi√ßa Desportiva (STJD) determinou √† CBF que suspenda as tabelas da S√©rie C e S√©rie D do Campeonato Brasileiro pela ‚Äúexist√™ncia de conflito de decis√Ķes e atribui√ß√Ķes‚ÄĚ em rela√ß√£o ao Betim, que foi inserido na S√©rie C por uma liminar da Justi√ßa Comum.

A briga do clube mineiro com a CBF vem desde 2006, quando ainda era Ipatinga e não pagou a taxa de transferência internacional do lateral Luizinho, negociado com o Nacional (POR). No ano passado, no primeiro julgamento, o Betim foi punido com a perda de seis pontos na Série C, o que rebaixaria a equipe e manteria o CRAC de Catalão na competição, mas os dirigentes mineiros acionaram a Justiça Comum e permaneceram na competição, algo que a FIFA não permite. O Betim foi novamente julgado, apenado, mas conseguiu uma liminar que trava os dois processos.

Confira a nota expedida pelo STJD

“DECISÃO

 Junte-se aos autos a decisão proferida pelo Juiz de Direito da 4ª Vara Cível de Betim.

Tendo em vista que compete ao Presidente do STJD, nos termos do artigo 9¬ļ inciso I do CBJD fazer cumprir as decis√Ķes proferidas pelo Tribunal.

Considerando a exist√™ncia de conflito de decis√Ķes e atribui√ß√Ķes entre a decis√£o proferida pelo Pleno do STJD nos presentes autos onde foi aplicado ao Betim Esporte Clube a san√ß√£o prevista no item 64 do C√≥digo Disciplinar da FIFA com o seu consequente rebaixamento para a serie D do Campeonato Brasileiro e, a decis√£o proferida pelo Juiz de Direito da 4¬™ Vara C√≠vel de Betim que determinou que a Confedera√ß√£o Brasileira de Futebol n√£o cumpra a decis√£o proferida pelo STJD.

Determino a diretoria de Competi√ß√Ķes da CBF que suspenda a publica√ß√£o da tabela das series C e D do Campeonato Brasileiro de 2014 at√© que seja resolvido o conflito entre as decis√Ķes supra referidas.

Intime-se a CBF atrav√©s de sua Diretoria de Competi√ß√Ķes.

Rio de janeiro, 27 de fevereiro de 2014

Fl√°vio Zveiter
Presidente do STJD‚ÄĚ

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
6 de março de 2014

Revertendo…

CATEGORIA: Notícias

                                                                      

O ex-prefeito Adib Elias (PMDB) consegue reverter sua inelegibilidade, sess√£o da C√Ęmara em que rejeitou seus balancetes foi anulada pelo juiz Dr. Marcus Vin√≠cius.

 

123

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail
SUBIR P√ĀGINA