O proprietário da represa que se rompeu no dia 4 de janeiro, em Pontalina, será indiciado pela Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente (Dema).

O delegado Luziano Carvalho apresenta na manhã desta segunda-feira (10) a conclusão do inquérito sobre o rompimento e já adiantou que o indiciamento será encaminhado à Justiça.

Segundo a Dema, ele violou os artigo 38, que trata do crime de destruir ou danificar floresta considerada de preservação permanenete ou utilizá-la com infringência das normas de proteção, e 60, que proíbe construção, reforma, ampliação ou funcionamento de estabelecimentos, obras ou serviços potencialmente poluidores sem licença ou autorização de órgãos ambientais.

Fonte: Diário de Goiás

CATEGORIA: Notícia

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail

Você pode deixar qualquer resposta para este post através de RSS 2.0 Deixe uma resposta, ou trackback.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

*

*