ÔĽŅ

O governo estadual autorizou o funcionamento de borracharias, oficinas, restaurantes e lanchonetes em rodovias por meio de decreto publicado na √ļltima quinta-feira (26). A medida vale apenas para os com√©rcios em rodovias que cruzam o estado.

Os estabelecimentos citados no documento devem continuar a obedecer a orienta√ß√£o de evitar aglomera√ß√Ķes de pessoas e obedecer √†s regras de dist√Ęncia m√≠nima de 2 metros entre os funcion√°rios, podendo ser reduzida para 1 metro se estiverem usando Equipamentos de Prote√ß√£o Individual (EPI).

O funcionamento de oficinas mec√Ęnicas e borracharias ser√° de revezamento entre os funcion√°rios e deve ser estabelecido pelos munic√≠pios.

As ind√ļstrias que n√£o produzem itens essenciais √† vida tamb√©m devem parar, segundo o decreto. O documento tamb√©m prev√™ a libera√ß√£o de hospedagem de pessoas que atuem na presta√ß√£o de servi√ßos p√ļblicos ou atividades privadas consideradas essenciais.

Outras √°reas contempladas pelo decreto s√£o as obras da constru√ß√£o civil, relacionadas a energia el√©trica, saneamento b√°sico, hospitalares, penitenci√°rias, obras do sistema s√≥cio educativo, obras de infraestrutura do poder p√ļblico e aquelas de interesse social, assim como os estabelecimentos comerciais e industriais que lhes forne√ßam os respectivos insumos.

O decreto mantém o isolamento sociais em Goiás até o dia 4 de abril, mantendo assim, somente os serviços essenciais à vida: supermercados, farmácias e agora, restaurantes, lanchonetes e borracharias em rodovias, abertos.

Segundo o governador de Goi√°s, Ronaldo Caiado (DEM), o fim da quarentena ser√° escalonado, ou seja, as libera√ß√Ķes ser√£o permitidas aos poucos. “Est√£o numa paranoia de que todo mundo vai quebrar, que vai ser um desemprego total. Todo lugar com coronav√≠rus teve √≥bitos e empresas quebradas. N√≥s sa√≠mos na frente. Vamos ver o que podemos liberar, se as aulas, a minera√ß√£o ou a constru√ß√£o de rodovias. Gradualmente, vamos fazer”, pontuou o governador.

Fonte: Jornal o Hoje

CATEGORIA: Notícia

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail

Você pode deixar qualquer resposta para este post através de RSS 2.0 Deixe uma resposta, ou trackback.

DEIXE SEU COMENT√ĀRIO

*

*