A secret√°ria extraordin√°ria de enfrentamento √† Covid do Minist√©rio da Sa√ļde, Rosana Leite, afirmou nesta segunda-feira (26) que a pasta est√° avaliando reduzir o¬†intervalo entre as doses da vacina da Pfizer¬†dos atuais 90 dias para 21 dias, conforme a bula.

Horas ap√≥s a entrevista da secret√°ria, o ministro da Sa√ļde, Marcelo Queiroga, disse ser “poss√≠vel” a redu√ß√£o.

“A Pfizer, o [intervalo] que est√° na bula √© de 21 dias. O grupo t√©cnico do PNI opinou por fazer um espa√ßo mais alargado naquele primeiro momento porque quer√≠amos avan√ßar na primeira dose, mas como as vacinas da Pfizer est√£o chegando agora em um volume maior, √© poss√≠vel mudar essa estrat√©gia. N√≥s j√° fizemos v√°rias an√°lises e, com as entregas que temos, √© poss√≠vel voltar para o prazo que est√° no bul√°rio”, declarou Queiroga.

Atualmente, o ministério pratica o intervalo de 90 dias. Segundo Rosana, a preocupação com a variante Delta e a previsão de chegada de remessas maiores da vacina levam o ministério a analisar a possibilidade de diminuir o espaço entre as doses. Ela não informou qual deve ser o novo intervalo.

“Provavelmente, no pr√≥ximo m√™s, com as perspectivas de vacinas, temos uma previs√£o de fechar agora o m√™s de julho com 40 milh√Ķes de vacinas, e em agosto, 63 milh√Ķes Ent√£o, sim, n√≥s pensaremos em reduzir esse intervalo [entre as doses da Pfizer], afirmou a secret√°ria.

Ainda segundo Rosana, o ministério estuda reduzir apenas o intervalo de aplicação da Pfizer, e não o das demais vacinas usadas no Brasil.

“A AstraZeneca mostra, inclusive, que quanto maior o intervalo de dose D1 e D2, melhor a forma√ß√£o de anticorpos neutralizantes. A √ļnica seria a Pfizer, inclusive isso consta em bula, nas outras n√£o”, explicou a secret√°ria.

Orientação para grávidas e puérperas

O Minist√©rio da Sa√ļde decidiu orientar gr√°vidas e pu√©rperas que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca a se vacinarem com a segunda dose da Pfizer ou da Coronavac.

A preferência é que as grávidas e puérperas tomem a segunda dose da Pfizer, que já tem testes disponíveis. Em casos excepcionais, elas poderão tomar também a Coronavac.

A vacina AstraZeneca foi suspensa para gestantes em maio, ap√≥s recomenda√ß√£o da Ag√™ncia Nacional de Vigil√Ęncia Sanit√°ria (Anvisa) por conta de uma rea√ß√£o adversa. Desde ent√£o, a orienta√ß√£o √© a de que as gestantes e pu√©rperas recebam CoronaVac ou Pfizer na primeira dose.

Fonte: G1 Globo.com

CATEGORIA: Notícia

COMPARTILHE:
Compartilhar em seu TwitterEnviar via E-mail

Você pode deixar qualquer resposta para este post através de RSS 2.0 Deixe uma resposta, ou trackback.

DEIXE SEU COMENT√ĀRIO

*

*